Desculpe-me. E eu te amo.

Man in Love

Lembro como se fosse hoje.

Acho que se fechar os olhos, ainda consigo ver nitidamente você na minha frente com aquela blusa levemente decotada, acompanhada de um largo primeiro sorriso (de muitos) e aquele abraço de como se já fossemos velhos amigos. Nem preciso me esforçar para lembrar o cheiro doce do seu perfume, ou o mentolado do seu hálito enquanto falava perto do meu ouvido coisas banais, no meio da pista de dança. A balada estava ensurdecedora, e ainda assim, eu só ouvia e via você: nem sei dizer se naquele dia o lugar estava abarrotado de gente como nas outras vezes que fui e você não estava lá.

Sua simpatia me surpreendeu e cativou de pronto. Seu jeito direto fez com que nossa afinidade crescesse rápido. Não demorou muito, fui convidado a conhecer sua casa. Você nunca foi de fazer jogo, não é mesmo? Sempre que quis algo, falou, ou simplesmente foi lá e fez. Esse sempre foi seu ponto forte. Mas para uma pessoa sistemática como eu, é também o ponto fraco.

Por uma vez tentei não pensar nisso: afinal, você me embriagava. Se algo me passava pela cabeça, era seu rosto, sua voz, seu corpo. E que belo corpo!

Toquei sua campainha com o coração quase na boca. O mundo parou por um segundo e te vi ali, escorada na porta com aquele mesmo sorriso bobo e olhar descompromissado, meio tímido, meio sem jeito. Pensei, “que se dane qualquer escultura grega ou romana, aquela garota ali, exatamente daquele jeito, isso sim é arte.”

Eu me apaixonei por você naquele instante.

Seu jeito levemente desleixado de deixar o cabelo cobrir parte do pescoço, somado ao decote aparente (quase sempre presente) atraíram meus olhos e despertavam minhas vontades mais íntimas. Seus shorts curtos, revelando coxas grossas e rabiscadas sempre te deram um tom meio arredio, meio rock and roll. Você nunca teve receio de parecer desleixada: entendeu cedo que sempre foi sexy por natureza. Seu estilo “foda-se” sempre te fez ainda mais sensual.

E a conversa, meu Deus! Como fluía nosso papo…era como se tivéssemos passado uma vida lado a lado (quem sabe não foi uma anterior, não é mesmo?). Eu não queria sair de perto de você nunca mais. Passaria uma vida encarando seus olhos, admirando seu sorriso. Sempre achei engraçado quando você, sempre tão decidida, ficava sem graça. O cheiro do seu cabelo, da sua pele, da sua casa. Eu precisava pertencer ali.

Às vezes (e me perdoe por isso) eu nem conseguia prestar atenção nas suas palavras, porque acabava hipnotizado pelo movimento da sua boca: a boca que eu queria tanto beijar.

Lembra que você me deu um filme pornô e alguns itens de sex shop de presente aquele dia? “Pra você se divertir quando estiver triste”, disse. Eu não sabia se ria ou se me apaixonava. Você não era nada comum, nada previsível. Sempre teve o controle da situação, e nunca pareceu se incomodar com isso: é seu natural. A garota mais estilosa e segura que eu já tinha conhecido na vida estava ali, na minha frente. E eu estava me apaixonando por ela.

Sem rodeios, você me puxou para o quarto. Deitei na cama e você me beijou. Tomou o controle, ficou por cima de mim e num numa velocidade quase torturante de prazer, me beijou de novo, olhando nos olhos. Era como se você já tivesse me despido, porque ali, eu fiquei nu. Nu para tudo que eu achei que era o “papel do homem” minha vida toda. Indefeso para sua confiança e certeza tão desprovida de pudor, sua vontade explícita de nós dois. Confesso que me senti indefeso por um minuto: não estava acostumado com essa falta de jogo, de enrolação. Mas seu toque era extasiante e tudo que eu queria era mais. Mais do seu beijo, do seu cheiro, da sua pele.

Você me fez sentir desejado, tarado, sem medo.

Saiba, garota, que você foi a melhor transa da minha vida. Cada penetração me deixava arrepiado. Todas as vezes em que transamos no banho, fizemos amor pela manhã ou fodemos madrugada adentro. Deitados, em pé, sentados. De lado, de costas, de quatro. Com você, eu aprendi a não ter vergonha de sentir prazer, de gemer mais alto, de romantizar o sexo, de sentir tesão. O melhor oral que já recebi, a melhor palmada que já dei. Entre suor e leves puxões de cabelo, uma pausa para beijos apaixonados e olhos nos olhos que quase faziam gozar antes do previsto. Você no meu colo era o paraíso ao alcance das mãos. Em pouco tempo, sua cama se tornou o melhor lugar do mundo. Não importava mais nada -“foda-se a vida lá fora”- eu só queria sentir seu corpo nu no meu.

Você tinha a mistura perfeita de amante dominadora e menina frágil. Sua voz doce pela manhã me acordando com café na cama era delicioso e contraditório quando comparada com a mulher decidida, sexy e tarada que estava comigo entre lençóis na noite anterior.

Você ia trabalhar e eu ficava ali no quarto vazio. Por várias vezes me belisquei, só pra ter certeza que não estava sonhando. Antes de partir, eu espalhava bilhetes românticos e sacanas pela casa, mal esperando a hora de sair correndo do trabalho e me afogar mais em você.

Todos os dias, que logo viraram semanas, e que logo viraria um mês. Minha paixão aumentava e suas defesas baixavam. Você me apresentou seus amigos, não tinha vergonha de demonstrar carinho em público. Era tudo tão natural, e ao mesmo tempo assustador. Eu mal sabia que aquela mulher também tinha planos de ser cuidada. De ser casada. De ser mãe. Falamos de futuro, de comprometimento.

E o que aconteceu?

Eu morri de medo. Eu pensei demais. As incertezas falaram mais alto. Tudo estava perfeito demais para ser verdade e com medo de que algo estragasse isso, eu estraguei sozinho.

Fiz o que todo homem covarde faz.

Eu fugi.

Do melhor sexo. Da risada fácil e gostosa. Do cheiro agradável da sua pele. Da conversa divertida pela madrugada. Do carinho no sofá. Do seu toque no meu corpo (e vice-e-versa). Eu tinha tudo. Eu perdi tudo.

Porque eu deixei tudo para trás? Acho que é o que tento responder todos os dias desde o minuto em que fui embora pra sempre.

Meu maior arrependimento é ter sido covarde com você.

Hoje, eu queria voltar no tempo e dar um soco na cara daquele rapaz inseguro. Olhar nos olhos dele e dizer “Não perca essa garota, ela é a mulher da sua vida.” Eu queria voltar, te pedir desculpas e te beijar até perder o fôlego. Queria sussurrar no seu ouvido que sempre te amei e que fui um idiota. Queria dizer que agora você é minha, e que eu sempre fui seu. Queria dizer que agora eu fico, e que nunca mais arredo o pé.

Esse texto é só pra dizer que te amo. E que ainda sonho com minha segunda chance.

Amanda Armelin dia 6 de março de 2015
Comente aqui
compartilhe

Não te quero mais

nostalgic

[Você DEVE ler este texto ao som de Pra Sonhar]

Sempre fui dessas que não tem vergonha de sentir saudade, e hoje não foi diferente.

Bom, na verdade foi. Porque pela primeira vez foi com você: engoli toda a mágoa que o seu medo e sua fuga me causaram e deixei a memória buscar toda a parte boa do nós que vivemos. Pra ser sincera, hoje até entendo seus medos e motivos, mas isso não vem ao caso.

Nosso timing e nossas expectativas podem ter sido erradas, mas o que passamos juntos na época pareceu bem certo: desde sua cara de pau ao vir falar comigo no meio de um batalhão de gente estranha até nossa decisão em nem se dar ao trabalho de tentar algo mais sério.

Seu excesso de comprometimento com o passado e minha excentricidade em planejar um futuro nos separou, antes mesmo de começarmos.

Mas eu senti saudade de como você me olhava com vontade nos olhos. De como tinha medo de me perder e de como se revelava sentimental na pillow talk depois da transa. Do sorriso de canto de boca que soltava ao me ver chegando de longe, de como não sentia vergonha de ser você mesmo quando estava comigo.

Quase senti seu cheiro na cama e lembrei do que estava escrito em cada um de seus bilhetes tarados espalhados pela casa. Fechei os olhos pra lembrar de como eu me derretia enquanto você tocava violão ao pé da cama, ainda suado e semi-nu, depois que transávamos. De como era vidrado nos meus pés (e na minha bunda).

Sorri escondido ao lembrar da tara que você demonstrava em locais públicos, me deixando sem graça e com tesão ao mesmo tempo. Deliciei-me em lembrar do seu ciúme bobo e descontrolado, pedindo satisfação a toda hora. Lembrei até daquela vez que você quase deu um soco no moço da mesa do lado, lá de cima do palco enquanto eu te assistia e ele me paquerava. Lembrei também de como nos resolvemos mais tarde entre lençóis.

Ouvi sua voz pertinho do meu rosto, e aquele seu jeito sem jeito de dizer que queria ficar comigo mas tinha medo do meu jeito moleca. Lembrei de como você gostava de frutas e sexo no café da manhã, e mais ainda quando eu lhe trazia na cama, vestindo apenas sua camiseta da noite anterior.

Engoli todo meu orgulho e vim aqui confessar que por você eu teria mudado o meu mundo e o meu jeito, só pra ficar no seu. Por você eu talvez até tivesse casado. Eu teria escrito um livro, plantado uma árvore e quem sabe, feito um filho.

Hoje não te quero mais, mas ainda te levo comigo; pra poder lembrar de tudo isso e usar sorrisos tímidos de maneira contida, esporádica e sincera do que poderia ter sido quando precisar suspirar. Deixei-me também um pedaço, pra você nunca se esquecer de lembrar de mim, ou da intensidade do que tivemos e nunca admitimos: muito mais que o combinado de “só sexo” inicial.

Amanda Armelin dia 3 de março de 2015
Um comentário
compartilhe

Falando em Poker…

por Renato Mello

Roleta e casino

Se você sabe o que é um Cassino, provavelmente sabe porque muitas pessoas o consideram um lugar divertido. Geralmente eles estão localizados em grandes hotéis – chamados resorts – onde é possível encontrar de tudo para satisfazer os clientes, como ótimos restaurantes, academias de ginástica, SPA’s, shows musicais e vários espetáculos, entre outras grandes atrações. Atualmente o POKER está entre os jogos de cassino online mais procurados nos sites como CasinoOnline.pt, ganhando até mesmo de blackjack, slots e roleta online.

Os cassinos são casas de jogos muito antigas e por isso mesmo, têm muitas histórias e curiosidades, tais como:

  • O jogo de casino de poker foi inventado na Europa por volta do século 15. Os alemães acreditam que este jogo se originou do jogo alemão Poch enquanto os franceses relacionam este jogo ao seu jogo “Poque”.
  • Chegou à costa americana através de um ator inglês chamado Joseph Crowell no início do século 19. Porém, ao invés de ser jogado em cassinos, este jogo foi utilizado para ajudar as tropas relaxarem durante a Guerra Civil Americana.
  • A “Mão do Homem Morto” (Dead Man’s Hand) é um termo que descreve uma mão de poker que contém dois ases pretos e dois oitos pretos. Se você já se perguntou como este termo se originou, vai ficar surpreso. De acordo com a crença, esta é a mão que Wild Bill Hickok tinha quando recebeu um tiro dentro do casino (algo que não acontece nos casinos hoje em dia).
  • O poker é a principal razão por trás da invenção do sanduíche. O Conde de Sandwich ficava muito entretido com o jogo de póquer que não gostava de sair da mesa para comer. Então, ele teve uma ideia para economizar tempo: uma fatia de carne entre duas fatias de pão.

O resto é história ;)

Amanda Armelin dia 5 de fevereiro de 2015
Comente aqui
compartilhe

36 perguntas para dois estranhos se apaixonarem

Por Guilherme Valadares

Suponha que duas pessoas não se conheçam e elas, por algum motivo, desejem se aproximar romanticamente.

Alguns vão dizer que a tentativa depende das estrelas, outros vão defender feromônios e há aqueles que talvez acreditem na mais pura sorte.

Em 1995, o psicológo e pesquisador Arthur Aron conduziu um experimento para testar um método prático que induzisse duas pessoas a se sentirem íntimas. O processo foi realizado com estudantes de psicologia que, sentados em uma sala confortável, receberam três pacotes com uma série de perguntas e a instrução de que o experimento seria uma espécie de jogo agradável, cuja intenção era apenas fazer com que se aproximassem.

O Dr. Aron nos diz em seu estudo (aqui o link para o material completo, que li antes de escrever esse artigo) que “um padrão chave no desenvolvimento de um relacionamento de proximidade entre duas pessoas é a contínua, crescente, recíproca e íntima abertura.

Para estimular tal processo, ele deu a cada dupla de estudantes, de sexos diferentes, uma série com 36 perguntas para serem respondidas na exata ordem proposta. Ao fim das perguntas, os dois participantes deveriam se olhar nos olhos silenciosamente durante quatro minutos.

Após o estudo, conduziu checagens para entender melhor a repercussão do processo, ficando surpreso com os resultados. O método era mesmo eficaz ao acelerar a aproximação, ainda que não significasse garantia de que algo fosse ocorrer em seguida. Ainda assim, seis meses depois duas pessoas que participaram estavam casadas.

Em janeiro desse ano, a repórter Mandy Le Catron, do New York Times,publicou um tocante relato após fazer a maratona de perguntas do Dr. Aron com um conhecido. Se apaixonaram. O artigo se espalhou como fogo em palha (as perguntas saíram também no Update or Die e no Treta).

casais
Foto por Saad Salem

Abaixo seguem as 36 perguntas:

Pacote I

1. Podendo escolher entre qualquer pessoa no mundo, com quem você gostaria de jantar?

2. Você gostaria de ser famoso? De que modo?

3. Antes de fazer uma ligação telefônica, você ensaia o que vai dizer? Por que?

4. O que seria um dia perfeito para você?

5. Qual a última vez em que cantou para si mesmo? E para outra pessoa?

6. Se você pudesse viver até os 90 anos e manter a mente ou o corpo de uma pessoa com 30 anos para os 60 anos seguintes – até completar 90 – qual iria escolher?

7. Você tem um palpite secreto sobre como vai morrer?

8. Diga três coisas que você e a pessoa com quem está conversando parecem ter em comum.

9. Pelo que em sua vida você se sente mais grato?

10. Se pudesse mudar qualquer coisa no modo como foi criado, o que seria?

11. Gaste quatro minutos para contar ao seu parceiro sua história de vida, com a maior quantidade de detalhes possível.

12. Se pudesse acordar amanhã tendo ganho qualquer qualidade ou habilidade, qual seria?

Conjunto II

13. Se uma bola de cristal pudesse te contar a verdade sobre si mesmo, sua vida, seu futuro ou qualquer outro coisa, o que escolheria saber?

14. Tem algo que você sonha em fazer há muito tempo? Por que ainda não fez?

15. Qual a maior realização de sua vida?

16. O que você mais valoriza em uma amizade?

17. Qual sua lembrança do passado mais querida?

18. Qual sua memória mais terrível?

19. Se você soubesse que em um ano iria morrer subitamente, você mudaria algo no modo em como está vivendo agora? Por que?

20. O que amizade significa para você?

21. Qual papel amor e afeto têm em sua vida?

22. Se revezem ao compartilhar uma característica que considera positiva na pessoa com quem está conversando. Compartilhem cinco coisas.

23. O quão próxima e unida é sua família? Você sente que sua infância foi mais feliz do que a da maioria das pessoas?

24. Como você se sente sobre o seu relacionamento com sua mãe?

Conjunto III

25. Diga três frases começando com “nós”. Por exemplo, “nós dois estamos sentindo agora que…”

26. Complete essa frase: “Eu gostaria de ter alguém com quem pudesse compartilhar…”

27. Se você fosse se tornar um amigo próximo da pessoa com quem está conversando, por favor compartilhe algo que seja importante que ele (ou ela) saiba.

28. Diga à pessoa com quem está conversando o que você gosta sobre ela; seja bastante honesto dessa vez, dizendo coisas que talvez não falasse com alguém que acabou de conhecer.

29. Compartilhe com seu parceiro um momento embaraçoso de sua vida.

30. Qual a última vez em que chorou na frente de outra pessoa? E sozinho?

31. Diga à pessoa com quem está conversando algo que você já gosta nela.

32. O que, se há algo, seria sério demais para se brincar?

33. Se você fosse morrer essa noite, sem a chance de se comunicar com ninguém, o que mais se arrependeria de não ter dito a alguém? Por que não falou isso a essa pessoa ainda?

34. Sua casa, com tudo que você possui, pega fogo. Depois de salvar as pessoas que ama e seus animais de estimação (se tiver algum), você consegue entrar na casa para buscar uma única coisa. O que seria? Por que?

35. De todas as pessoas em sua família, a morte de qual delas mais te perturbaria? Por que?

36. Compartilhe um problema pessoal e peça um conselho à pessoa com quem está conversando, sobre como ela lidaria com a situação. Peça também para lhe dizer como ela interpreta que você está se sentindo em relação a esse problema.

* * *

É claro que relacionamentos autênticos e saudáveis não surgem de métodos e roteiros. O próprio estudo do Dr. Aron levanta uma série de ressalvas e limitações em relação ao estudo feito, cujo propósito está ligado ao desenvolvimento de intimidade – e não necessariamente se apaixonar.

Porém, tendo isso em mente, podemos brincar com essa ideia de modo despretensioso. Quem mais está disposto a testar?

Via Papo de Homem

Amanda Armelin dia 4 de fevereiro de 2015
Comente aqui
compartilhe

Conheça a webserie Puro Êxtase

lola

Conhecidos em 2013 com a webserie “Gozando de um bom livro” (da qual eu participei também: veja AQUI), a dupla de criativos da SF13 Produções, Pedro Diniz e Luiz Cardoso, traz agora uma nova ideia, lançando novo desafio: manter a compostura em diversas situações cotidianas, enquanto estimulado DOWN THERE.

Sim, a série é #NSFW e sim, promete ser deliciosa de assistir. Confira o Teaser de “PURO ÊXTASE”, com Bianca Jahara apresentando Lola Benvenutti e o PENNE (hihi) milagroso.

Uma realização SF13 Produções com o apoio de Mooca Station, Extravagance Boutique, Universo Curioso e Agência MM Creative, e música por André Beraldino (disponível para compra no iTunes).

Amanda Armelin dia 3 de fevereiro de 2015
Comente aqui
compartilhe

Resenha: Kintal Lanches, Americana (SP)

images

Para os que ainda não sabem, minha cidade natal é Americana, no interior de SP. Situada à 130km da capital, vira e mexe ainda dou um pulo por lá, visitar a família e os amigos de longa data.

Fato é que Americana tem suas tradições e bons pontos para quem gosta de comer bem e não pagar caro, e, como sou dessas que fogem do raio gourmetizador, venho apresentar-lhes uma das lancherias mais famosas e tradicionais da cidade: o KINTAL LANCHES.

Com mais de 30 anos de experiência, o Kintal é um Must Go se você passar um dia por Americana: apesar do aspecto super simples (típico de cidade interiorana), a comida não deixa em nada a desejar. E a melhor parte: o preço é ótimo quando comparado com SP. É uma daquelas lanchonetes em que se vê de tudo: famílias, crianças, casais, idosos, galera no pré e no pós-balada.

Com espaço kids, estacionamento próprio e atendimento rápido, o Kintal Lanches tem um diferencial: todos os lanches vem PER-FEI-TA-MEN-TE cortados ao meio, envoltos num plástico (quem tem TOC como eu, acha isso lindo).

menos de R$20 cada! \o/

menos de R$20 cada! \o/

O lanche é tão grande que eu NUNCA consegui comer um inteiro; sempre acaba sobrando metade para mais tarde. Por menos de R$20? Vai achar um desses aqui em SP…

Fora que o cardápio dos caras parece uma bíblia, de tanta opção que tem.

E tem mais: o molho de pimenta e a maionese caseira deles são divinos. Não dá pra ir embora sem provar (e gostar).

meionese e molho de pimenta: caseiros!

meionese e molho de pimenta: caseiros!

Ainda intrigada com o perfeito corte do lanche, fui atendida pelo proprietário, Sr. Fernando, que me convidou a conhecer a cozinha e me revelou o segredo que eu não conseguiria morrer sem saber: não existe nenhum segredo, além da mão firme do prensador. Numa linha de produção, os lanches são montados e prensados, depois cortados e, por fim, recebem uma camada de plastico, que é levemente encostado (tipo, 1 seg mesmo!) na prensa quente, para manter o recheio em seu devido lugar. Achei sensacional a técnica!

image6

E, se somente minha palavra não bastar para dizer que o Kintal Lanches é ótimo, confie nas paredes repletas de prêmios e certificados, além dessa foto:

image8

Resumindo? Vá!

Endereço: Rua Paul Harris, 321 – Nova Americana, Americana – SP, 13466-050
Amanda Armelin dia 2 de fevereiro de 2015
Comente aqui
compartilhe

Facilitando a doação de sangue, conheça o projeto Salve Mais Um

logo

O Salve Mais Um® surgiu de ideia de cinco amigos que viram que a força das redes sociais, uma vez bem utilizada, pode ser uma poderosa ferramenta para aumentar o número de doadores de sangue e plaquetas nos nossos Hemocentros.

Partiram de um princípio: o brasileiro é um povo solidário.
Você já parou para pensar por que nunca doou sangue?

Buscamos você, o novo salvador de vidas, para que entendendo o processo, perceba que o pequeno desconforto não é nada quando comparado com o tamanho do benefício, certamente a mais poderosa das doações: a doação da vida!

É nesse contexto que surge o Salve Mais Um®, que chega com muita humildade para resgatar uma legião de brasileiros solidários e bem intencionados, que precisavam apenas de um meio para entrar definitivamente nesse novo exército de salvadores.
Como funciona? MUITO SIMPLES!

comofunciona1 comofunciona2 comofunciona3

 

Queremos o Salvador Dali, o Salvador Daqui, e o Salvador de Acolá. Salve, salve todos vocês.

É bem simples: você entra, se cadastra, fala seu tipo sanguíneo (se souber) e se é apto a doar sangue. Dessa forma, você fica mapeado para quando precisarem especificamente do seu tipo de sangue, na sua localidade. Legal, né? Eu, que doo sempre, amei a ideia! Já tô lá!

Amanda

E aí, bora salvar vidas?

Amanda Armelin dia 30 de janeiro de 2015
Comente aqui
compartilhe

Diletto lança edição limitada de picolé, sabor Ovomaltine!

3815506617-

As marcas Ovomaltine e Diletto, famosas nos seguimentos dos doces, resolveram fechar uma parceria e lançaram um sabor de picolé inédito para simbolizar essa união. Trazendo a cremosidade dos picolés Diletto e a crocância do Ovomaltine, o novo produto, em edição limitada, já está disponível nas cidades do Rio de Janeiro e São Paulo (capitais), na flagship e nos carretinos da marca Diletto.

Essa novidade traz a companhia Ovomaltine, fabricante do doce à base de malte, ao segmento dos gelatos/sorvetes, como mais um eixo de ação do reordenamento da empresa, anunciado em 2013, para angariar maior parcela de clientela jovem.

O produto deve ser comercializado no primeiro semestre deste ano de 2015. A marca Diletto é famosa pela proposta dos “picolés gourmet” e sorvetes refinados, que se valem de ingredientes mais sofisticados em sua elaboração.

Já os produtos Ovomaltine são bem conhecidos no mercado brasileiro, seja na forma do tradicional achocolatado em pó, pronto para beber, ou do creme crocante, por exemplo. Além destas disposições, a marca está presente em diversas cadeias de fast-food, restaurantes e lanchonetes, na forma de pratos doces e principalmente de milk shakes.

O picolé será inicialmente oferecido em 200 pontos de venda ao preço sugerido de R$ 10.  Deu água na boca aqui. E aí?

picol-ovomaltine-e1422469005644

Amanda Armelin dia 30 de janeiro de 2015
Comente aqui
compartilhe

Comida Colombiana boa e barata em SP? Sabores de Mi Tierra!

1012239_225512767597436_1898844511_n

Se você é como eu, e não dispensa conhecer um rolê gastronômico novo e alternativo, com uma culinária diferente e sem raio gourmetizador (nem na comida, nem no preço), eu tenho a dica perfeita para você! O restaurante SABORES DE MI TIERRA é super caseiro, pequeno e aconchegante. E não, não espere nada requintado.

Situado numa garagem de uma casa em rua tranquila e sem saída em Pinheiros, traz tanto na decoração quanto no staff e -obviamente- na culinária, a cultura colombiana. Sempre com música ambiente, basta entrar para sentir vontade de arriscar um portunhol enrolado.

O cardápio é simples e não precisa de muitas variações para dar água na boca. Com preços muito baratos, vale à pena provar um pouquinho de tudo quando for conhecer. Segue minha sugestão favorita!

Entrada

Peça com certeza o mix de chips de mandioquinha com banana da terra. Vem acompanhado de salsa, guacamole e um molho bem apimentado (delicioso, by the way). Também existem as porções de empanadas (tem uns sabores diferentes, de amendoim com ovo de codorna, de carne com batata e de queijo), os patacóns (discos fritos de banana da terra) mini com ceviche cartagenero e os pataconzitos com suero costeño (leite fermentado com limão e sal).

Mix de chips

Mix de chips

Patacon com ceviche cartagenero

Patacon com ceviche cartagenero

Patacons com suero costeño

Patacons com suero costeño

Prato Principal

Com várias opções de recheio, os carros chefe da casa são os patacons (já expliquei acima do que se trata) e as arepas (discos feitos de canjica branca grelhada e recheada). Entre meus favoritos, particularmente, estão os recheios de feijão com torresmo e guacamole e o de carne desfiada com pimentão:

Patacon de carne desfiada com pimentão

Patacon de carne desfiada com pimentão

Patacon de feijão com torresmo e guacamole

Patacon de feijão com torresmo e guacamole

10325347_314217622060283_7249822202283675521_n

Arepa de pernil acebolado

Bebida

Não aconselho sair de lá sem provar as MA-RA-VI-LHO-SAS limonadas de côco e adoçada com rapadura. Se quiser tomar algo diferente e alcóolico, prove o canelazo (bebida quente feita com rapadura, limão, canela e aguardente colombiana) deles.

image8

Limonada de côco

Sobremesa

Recentemente inclusa no cardápio, não deixe de provar a banananita romeu e julieta, feita de banana da terra assada em formato bolinha, recheada com goiabada e salpicada com queijo (desculpem a foto, acho que foi a emossaum da ansiedade de comer):

Bananita de romeu e julieta

Bananita de romeu e julieta

Levar pra casa

A Sabores de Mi Tierra ainda tem a pronta entrega chips, como o de banana da terra e mandioquinha, arepas, patacones e empanaditas colombianas. Também podem ser encomendados os recheios, como costela ou pernil desfiados, e molhos, como guacamole e salsa (vinagrete picante).

Contato

Sabores de Mi Tierra
Rua Lisboa, 971, Pinheiros
(11) 3083-3114

Amanda Armelin dia 30 de janeiro de 2015
Comente aqui
compartilhe

Resenha: Restaurante Fry’s

* Com UPDATE no final do postCaptura-de-Tela-2013-01-12-às-10.00.26

Ontem, nas andanças por essa SP maravilhosa, deparei-me, morrendo de fome, com a loja FRY’S do Shopping Center Norte e decidi provar. Afinal, não é todo dia que você encontra uma franquia se auto-declarando “o melhor hambúrguer do mundo”! Confesso que a decoração do lugar me encantou bastante, e, à primeira vista, pareceu uma escolha bastante apetitosa. Confira:

 

FrysBurgers19

 

A proposta do lugar é legal: você escolhe o lanche e recebe o básico dele, aberto. Aí, pode condimentar à vontade com mostarda, ketchup, barbecue, cheddar derretido, cebola, picles, alface e tomate. E eles também tem as opções de combo com refri + batata rústica ou onion rings.

Mas era tudo bom demais para ser verdade: meus problemas começaram no caixa, com a atendente que não me deixava pedir e perguntava 3x a mesma coisa que eu havia acabado de pedir. Ao solicitar o adicional de bacon, uma surpresa: ela consegue COBRAR, mas não consegue LANÇAR no sistema. Oi? Ok, fui instruída a pedir para a moça que ia me servir que eu já tinha pago o adicional de bacon.

Aí, ela me deu um desses bagulhets vibratórios com luzes piscantes que avisa quando chega sua vez. O motivo: os lanches demoram uma média de ONZE minutos para ficar pronto, coisa que eu só fui ver que estava escrito, em letras BEM minúsculas ali, escondidinho na parede. Até aí tudo bem, bom saber que as coisas são feitas na hora e vem junto aquela expectativa, misturada com fome.

Eis, que chega meu lanche. No cardápio, ele é assim:

frys

O que eu recebi?

unnamed

DETALHE: Isso COM muito barbecue, cheddar, alface E tomate! Esse é o lanche DEPOIS de incrementado com os adicionais grátis e adivinhem? VEIO SEM O BACON EXTRA QUE EU PAGUEI POR ELE. Resumindo: o pão é seco, sem gosto, não tem NADA de recheio no pão e custou caro demais para o produto que eu recebi. Ainda fiz a caca de pedir com Onion Rings, que até estavam OK de comer, mas nada “UAU, que delícia”. Estavam frias, e BEM secas.

Senti pena pelo meu noivo, que entrou na dança e pediu um super mega burguer de shitake, e no fim das contas nem sentiu o gosto do pobre do shitake. Mesma coisa no lance expectativa x realidade da foto, sem contar as batatas rústicas dele, que vieram FRIAS, SECAS e MURCHAS! (gente, eu SEI que imagem de restaurante é meramente ilustrativa, nunca esperei exatamente o lanche da foto, mas, convenhamos, o que eu recebi ontem foi uma falta de respeito).

Resumindo? jogamos R$65 no lixo! Não conseguimos comer o lanche todo, saímos de lá frustrados e com uma triste sensação de engano, depois de uma das piores experiências de nossas vidas com lanches. Honestamente, duvido muito que a loja que visitei siga rigidamente os padrões da marca, porque não pode ser só isso. EU ESPERO QUE NÃO SEJA SÓ ISSO. 

O que salvou? O milk shake de baunilha, feito com sorvete da Diletto, que não é marca deles.

Sad, but true.

 

*****UPDATE FELIZ****

Ontem mesmo, o próprio fundador da marca me ligou, em pessoa, para pedir desculpas. Disse que não queria me mandar nenhuma resposta padrão e agradeceu o relato, afirmando que não é a primeira vez que reclamam quanto a qualidade dos produtos recebidos e que as providências cabíveis já estão sendo tomadas. Achei não somente simpático e respeitoso da parte dele, como também pessoal e que, de certa forma, demonstra o quanto ele se importa com a opinião e satisfação do cliente.

Semana que vem estará em SP (não é daqui), e encontraremo-nos na loja para então, recebermos o lanche que deveríamos ter recebido na ocasião. Palmas pela agilidade e preocupação com a qualidade do serviço. E que o relato ajude para que os franqueados não deixem a desejar, já que representam a reputação da marca.

Amanda Armelin dia 29 de janeiro de 2015
Comente aqui
compartilhe

« Página anterior

pesquisa

contato

RSS Feed